terça-feira, 20 de agosto de 2019

Ciclo de Roupa

Resultado de imagem para dar roupa

A minha irmã volta e meio faz limpezas ao armário e as coisas vêm parar cá a casa, tudo o que posso (que me serve) eu guardo e uso, mas infelizmente ela é bem mais magrita que eu por isso tudo o que são calças é difícil de aproveitar. Como estão impecáveis e são de marca tiro fotografias e coloco à venda, e lá vai saindo uma peça aqui, uma peça ali (roupa é sempre mais difícil)
Como estava já a algum tempo que uma data de coisas no armário foi hora de destralhar, vi as que eram do tamanho das colegas no escritório e o que poderia ser do gosto delas e toca a levar um saco de roupa com calças, casacos, camisas, etc. fiquei muito feliz por aquela roupa poder ser aproveitada e tem muita graça ver as pessoas vestidas com roupa que já foi da minha irmã
O ciclo da roupa ao mais alto nível. Quando a roupa é de boa qualidade e nos cansamos dela mais depressa do que lhe chega a vida ao fim é altura de darmos a alguém ou trocarmos!

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

PPR Moderado Julho


E o mês de Julho segue no fundo a tendência e volta a crescer por volta dos 1% ao mês. Estou muito satisfeita com o seu desempenho, mas é algo a longo prazo, por isso, vamos indo e vamos vendo. :)

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Relativamente aos festivais de verão:

Resultado de imagem para festivais de verão


Então este post é sobre tudo aquilo que não fiz mas que poderia fazer.

1º verificar o horário das bandas a que querem assistir e as atividades paralelas (claro que se pagam é para aproveitar, mas de certeza que ficar 10 horas num recinto fechado com preços astronómicos vos trará muitas depesas).

2º Ir de transportes públicos, normalmente exitem sempre alternativas ao transporte próprio. Mesmo que tenham de deixar o automóvel nalgum lugar ou que não consigam ir de transportes até casa, poderão deixar o carro junto aos locais onde os transportes públicos terminam. Em última análise a ter de utilizar taxi, uber ou outras plataformas convém faze-lo o mais próximo de casa possível (desde que não seja possível ir a pé, claro).

3º irem hibratados e eu levo sempre uma tampa de garrafa na mala. Sim é verdade, eu como bebo imensa água (por norma os festivais são em épocas de calor) eu levo sempre uma tampa de modo a que quando compre uma garrafa de agua dentro do recinto não tenha de a beber de imediato e a consiga transportar facilmente.

4º ir bem alimentado antes de entrar (um dos grandes erros que cometemos foi não ter almoçado antes de entrar, sabem o que acontece não é? claro fome!! Não queremos se quer saber de preços, só queremos saciar a nossa necessidade básica)

5º levar snacks (ai que esta correu tão mal), levei uns chocolates, mas o calor era tanto que estão a ver o que aconteceu? derreteram na minha mala e ficou tuuuudo sujo! Acho que tenho de escolher melhor o que levar da próxima vez

6º colocar protetor solar, levar chápeu e óculos de sol e levar um casaco para a noite (eu por norma uso um lenço que posso simplesmente abrir para me agasalhar).

7º fugirem aos doces e salgados - quanto mais doces e salgados comerem mais sede terão - logo mais consumos irão fazer.

e por último e este não é em termos de poupança, mas em termos de lixo e desperdício, fujam dos brindes e todas as coisas inúteis que são distribuídas num festival.

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

PPR Moderado Junho



Desculpem o atraso, mas antes tarde que nunca!

O mês de junho foi de recurperação do PPR (tinhamos terminado o mês de maio a negativo, mas já recuperamos o que tinhamos perdido em junho e mais uns pozinhos). Estamos atualmente com uma rentabilidade acumulada de 6,69%.

O PPR agressivo, continua a dar uns pozinhos. C

Por fim dizer-vos que consoante as perspectivas de pagar IRS no próximo ano estamos a considerar uma aplicação de PPR para cada um dos titulares para maximixar os beneficios fiscais.

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Resultado de imagem para festivais de verao

Estava eu a dirigir-me para um festival de verão de transportes públicos quando pensei: "Ah tenho de fazer um post sobre como poupar em festivais de verão", pensei logo em tópicos, transporte, preparação, comida, etc. 
Mas, surpresa, surpresa! Contrariamente a anos anteriores, este ano foi o descalabro (apenas em comida, era tudo caríssimo e não fomos de todo devidamente preparados!!) Por isso talvez faça um a falar do que hipotéticamente poderíamos ter poupado!

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Mealheiro Literário Julho


Resultado de imagem para livros e tv

Julho parece ter sido o mês do engonhanço (será que esta palavra existe mesmo?)

Tive pelo menos dois livros começados e que o tema era interessante mas não sei porquê o livro no seu todo não.. então depois andava a arrastar-me a arrastar-me e acabaram os dois devolvidos à biblioteca, sem terminar e fora do prazo ainda por cima!

Mas em resumo, Julho 2 livros ambos da biblioteca pública.

Mas também tenho a dizer que foi o mês de Netflix Grátis portanto tenho alguma desculpa, não é verdade? 
Tenho visto tantos documentários e séries! Tão bom! Mas é só para aproveitar o mês grátis sim? Não há necessidade de aumentar as despesas mensais!



quarta-feira, 31 de julho de 2019

Investimento Imobiliário II


Tive a oportunidade de em plena crise de 2013 ter dinheiro para comprar uma casa a pronto, com o meu marido, isto significou uma margem negocial imensa, conseguindo comprar uma casa por uma pechincha. Não estou certa que não tenha sido a melhor compra que fizemos em toda a nossa vida, se bem que acho que nos podemos orgulhar de felizmente termos já tido a oportunidade de fazer óptimos negócios.

Nesta altura a crise dos bancos que não davam crédito fez as casas irem descendo o seu preço e depois quando aparecia alguém com dinheiro à vista tinha ainda um poder negocial maior, claro que depois há sempre detalhes que vão dependendo de cada situação. No nosso caso quem estava a vender a casa era a filha que tinha a mãe num lar (a casa era da mãe), ou seja não tinha uma ligação emocional à mesma e não precisava do dinheiro para a compra de uma outra casa (podem pensar que isto é secundário, mas na realidade acho que são estes pequenos promenores que definem os negócios). 
Toda a casa estava habitável e seria a nossa primeira casa (até lá tinhamos apenas vivido em casas alugadas) e foi na realidade o facto do senhorio não nos quer descer a renda que nos fez pensar em comprar.
Depois de a comprarmos decidimos que teriamos de fazer obras na cozinha antes de nos mudarmos para que se tornasse mais moderna e com outras condições. E assim foi.
Ficamos naquela casa cerca de 3 anos e fizemos também obras no WC, ou seja a casa ficou moderna e prática (ao nível das necessidades de um jovem casal).
Passados esses 3 anos, ainda estavamos em crise, mas eu estava farta de demorar muitooo tempo em transportes para chegar ao trabalho, cerca de 90m de manha e na melhor das hipoteses 90m a tarde. Por isso fiz finca pé de que queria ir morar para outro lugar mais perto do trabalho (nós adoravamos viver naquela cidade e custou muito esta decisão, mas foi necessária).
Começamos a procura de casas com um orçamento baixo, não queriamos vender a nossa casa e por isso iriamos coloca-la no mercado de arrendamento e recorrer ao crédito habitação, depois de meses a ver todo o tipo de casas estavamos prestes a desistir quando vi uma casa acima do nosso orçamento e disse que seria a última que veríamos, pelo menos durante uns tempos.
Assim que entramos, apaixonamo-nos completamente pela casa e sabíamos que seria nossa. Era fora do orçamento que tinhamos espitulado? Sim. Poderíamos paga-la? sim. Queríamos pagar o que pediam? Não.
Logo o resultado só poderia ser negociar! (Desculpem vou deixar este tema para outro post porque acho que vale a pena).
Conclusão a nossa primeira casa entrou no mercado de arrendamento inicialmente a uma rentabilidade líquida de cerca de 10% ao ano e atualmente está em 13,3% ao ano. Nesta altura, sei que poderiamos aumentar a rentabilidade subindo o valor da renda, mas gostamos da nossa inquilina, pretendemos estabilidade, por isso temos a política de apenas subir os preços quando os inquilinos saem e entram novos.